Os bebés também devem fazer atividade física!

Sejam bem-vindos à 8ª crónica do Maria na Linha!

Antes de mais, gostaria de dizer que esta crónica está a ser escrita num momento em que o mundo está a atravessar um grande desafio, que infelizmente está a afetar muitas pessoas, tanto a nível de saúde, como a nível social e económico. Apesar de não saber a altura do ano em que vão estar a ler estas palavras, queria deixar o meu desejo de que toda esta situação se resolva o mais rapidamente possível e que todos fiquem bem e em segurança.

Para a crónica de hoje, decidi trazer um tema relacionado com a atividade física, nomeadamente a importância que esta tem, desde a altura em que nascemos.

Por um lado, dizer-vos que a prática de um estilo de vida saudável inclui não só, a escolha por uma alimentação completa, variada e equilibrada; mas também a escolha por uma vida mais ativa, em que a prática de atividade física deve ser algo regular. De facto, um estilo de vida saudável, entre muitas outras coisas, é um cuidado equilibrado entre alimentação, atividade física, padrão de sono, hábitos de higiene e saúde mental. Por outro lado, dizer-vos também que, em idades mais precoces, especificamente quando se fala em bebés de meses ou crianças de 1-3 anos, a atenção tende a recair mais, sobre os cuidados a ter com a alimentação (quais os alimentos a que os vamos expor, quais aqueles que os farão crescer com mais saúde, quais os primeiros alimentos a introduzir, etc.) e ainda com a qualidade de sono (quantas horas de sono faz por dia, quanto é que dorme por noite, quantas vezes acorda durante a noite, etc.). E se é verdade que todos estes cuidados devem ser tidos em conta e que uma boa alimentação é fundamental para o correto desenvolvimento do bebé/criança; importante também é, a forma como, quando e quanto é que ela se exercita.

Atualmente sabe-se que a atividade física é fundamental para o desenvolvimento e crescimento da criança e que desde muito cedo, é necessário incluir atividades, adaptadas à idade e às capacidades motoras, que lhes permitam o fortalecimento dos ossos, músculos e distribuição correta da massa corporal. Tanto a Physical Activity Strategy for WHO European Region 2016-2025 como a Estratégia Nacional para a Promoção de Atividade Física, da Saúde e do Bem-Estar, definem como objetivos o aumento da atividade física, a redução dos comportamentos sedentários, a existência de espaços públicos atrativos, seguros e acessíveis para a realização de atividade física e a promoção da igualdade de oportunidades para a realização dessas mesmas atividades. Ambas defendem que a redução do sedentarismo é fundamental para a promoção da saúde e do bem-estar e para a prevenção das doenças provenientes da atividade física insuficiente.

Está estudado que as crianças que não são fisicamente estimuladas, ou seja, que passem muito tempo nos carrinhos, ao colo ou em brinquedos estáticos, acabam por adotar um maior número de comportamentos sedentários no futuro e por começar a gatinhar/andar mais tarde. Desta forma, a estimulação física dos membros superiores e inferiores, através de brinquedos ou de brincadeiras com os cuidadores, são importantes para o combate à futura adoção de comportamentos sedentários, que parecem estar associados à obesidade em crianças de idades pré-escolares.

Está definido que até ao 1 ano de idade devem ser feitos 30 minutos de posição de barriga para baixo e que até o bebé conseguir gatinhar, podem-se fazer exercícios que estimulem o bebé, a rolar, mexer os membros, mexer a cabeça, a puxar e empurrar objetos que estejam fora do seu alcance; pode-se colocar música para encorajar o bebé a fazer movimentos e ainda fazer brincadeiras que envolvam movimentos lúdicos. Através destas atividades, o bebé fortalecerá os músculos de todo o corpo, formará o arco das mãos que lhes permite adquirir habilidades motoras, desenvolverá os músculos dos olhos, a perceção das distâncias e o desenvolvimento cognitivo e consciência do meio.

Entre os 1-3 anos e os 3-5 anos, estima-se que a criança deve fazer 3h de atividade física por dia, todos os dias. Atividades como, ir a pé para a creche, brincar na creche, brincar em casa, aulas de atividade física estruturada (aulas de educação física ou desportos extracurriculares), caminhar nos centros comerciais e ao ar-livre, nadar na piscina, dançar; são ações que devem fazer parte do dia-a-dia das crianças.

Já dos 5 aos 17 anos, está recomendada a prática de 3h de atividade física total e 1h de atividade física moderada/rigorosa por dia, 5 ou mais dias por semana. Durante o dia escolar, a criança deve aproveitar os intervalos das aulas e as sessões de atividade física estruturada para estar fisicamente ativa e aos fins-de-semana, incluir atividades como andar de bicicleta, brincar nos parques, caminhar, entre outros. No final, a maior parte do trabalho diário de atividade física deve ser aeróbio e as atividades rigorosas devem incluir exercícios de fortalecimento muscular e ósseo, pelo menos 3 vezes por semana.

Por último, referir também que segundo a Guideline 24h Movement, as crianças devem ter um número de horas estipulado, em que devem estar em movimento, sentadas e a dormir, por dia. Dos 0 aos 4 anos, uma criança deve estar aproximadamente 30 minutos em movimento, entre 10h-13h a dormir e no máximo 60 minutos de tempo de ecrã; uma criança dos 5-17 anos, deve estar aproximadamente 9h-11h a dormir, no máximo 2h (não seguidas) de tempo de ecrã e despender o seu tempo de “movimento”, em atividades de “passo” e de “suor”.

É importante perceber que atividade física dos mais novos pode ser conseguida através de atividades lúdicas e do dia-a-dia; e que desde muito cedo devemos estar expostos e ser estimulados a esse tipo de estilo de vida. O ganho pode ser de grande valor, pois permitir-nos-á desenvolver e crescer corretamente, adquirir diferentes competências, evitar e atrasar o aparecimento de problemas graves de saúde e aprender hábitos saudáveis para a vida futura. A inatividade física e o aumento dos comportamentos sedentários estão cada vez mais presentes nos estilos de vida da sociedade atual, incluindo em crianças de idades muito precoces.

Espero ter partilhado algumas informações novas e ter conseguido transmitir a ideia de que é importante incluir a atividade física na vida dos mais novos, sendo que para isso é necessário que os seus cuidadores tenham essa consciência e estejam sensibilizados para esta área da saúde.

De facto, também os bebés devem fazer atividade física! Aproveitem esses momentos para se divertirem com os bebés e as crianças, criarem memórias juntos e passarem bons momentos em família. O seu bebé ficará mais forte e mais feliz!

Obrigada por estarem desse lado. Aguardo-vos na próxima crónica, e até lá, mantenham-se na linha!

Translate »